sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Entretanto, numa universidade brasileira...


    Um muito obrigado! ao Pedro por nos ter trazido aqui este vídeo bem esclarecedor do estado em que se encontra o ambiente nas instituições do ensino superior no Brasil: explosivo, mais ou menos como nos EUA. O vídeo não tem descrição, pelo que teremos de confiar no sumário feito pelo Pedro:
«Na Universidade Federal de Pernambuco, teve uma luta entre apoiantes do Bolsonaro (o único candidato que se opõe à putaria do politicamente correcto) e comunistas. O motivo é a exibição do filme do intelectual conservador Olavo de Carvalho. Um pequeno grupo de apoiantes do Bolsonaro lutaram contra uma horda de comunas.»



____________
Ver também:

A realidade do multirracialismo na Universidade de São Paulo

A traição aos Portugueses em números concretos (100)


    Mais uma consequência "bonita" de se ter um primeiro-ministro alógeno, xuxalista e secundado por dois partidos da extrema-esquerda! Um pouco cara, é certo, mas há que levar em conta que a diversidade não tem preço!

«O primeiro-ministro António Costa, anunciou hoje, em Bruxelas, 1350 milhões de euros(ver nota 1, em baixo) de reforço da participação portuguesa no fundo de apoio ao desenvolvimento em África.

 


"Portugal anunciou o reforço significativo da sua dotação para o fundo fiduciário para África, acrescentando 1350 milhões de euros à dotação inicial de 400 mil euros(ver nota 2, em baixo)", tendo o reforço sido transferido na quinta-feira, disse o primeiro-ministro, em conferência de imprensa no final da reunião do Conselho Europeu.

António Costa salientou ainda que "houve um esforço conjunto de todos para reforçar a capacidade de financiamento dos programas da União Europeia em África". O reforço do apoio financeiro a África integra a estratégia europeia de combate ao fluxo imigratório, um dos temas que esteve na agenda da cimeira que decorreu quinta-feira Joves e hoje, em Bruxelas.»

1350 M€... coisa pouca, num país que tinha, em Junho deste ano, uma dívida pública superior a 244 G€!!! Já agora, onde é que o (des)governo terá ido buscar estes 1350 M€?...

E reparem só na incoerência estupidificante do Costa: por um lado, o monhé é a favor da vinda dos "refugiados" terceiro-mundistas para a Europa, tendo-se oposto recentemente ao fim do sistema de quotas imposto pela UE aos seus estados-membros (o tal sistema que foi veementemente rejeitado pelos países do Grupo de Visegrado). Mas, por outro lado, o mesmo Costa aumentou o dinheiro destinado a um programa comunitário que, em teoria, tem como objectivo reduzir o número de iminvasores! Isto tem pés e cabeça? Isto faz algum sentido?!...

----------
Nota 1: o valor 1350 M€ tem de estar errado, porque o valor das novas contribuições de todos os estados-membros ascende a apenas 174,4 M€. O mais provável é que a pessoa que transcreveu a notícia inicialmente tenha confundido o separador dos milhares (.) com o separador decimal (,).

Nota 2: este valor também está errado. De acordo com a própria (des)União Europeia, a contribuição de Portugal até agora foi de 450 k€.

____________
Ver também:

O Costa das Índias quer que os árabes comprem dívida portuguesa!
Costa das Índias gaba portugueses emigrados no Catar e faz pedinchice aos árabes
Costa das Índias: «Temos de enfrentar o populismo!»
O Costa das Índias insiste em querer acolher mais e mais "refugiados"
Insanidade total: o Costa vai mesmo tentar avançar com o tal "Espaço Schengen da Lusofonia"!
O Costa das Índias quer criar um "Espaço Schengen" da lusofonia!
Bosta das Índias diz que "é positivo que o referendo da Hungria seja inválido"
Os "refugiados" e a classe política traidora
O Costa das Índias continua a mentir descaradamente
Costa diz aos "refugiados" num campo grego: «São bem-vindos em Portugal»
Os esforços do Costa das Índias estão a dar frutos!
Tenham medo! Tenham muito medo!!!...
Costa não perde tempo e mostra logo ao que vem...
O PNR denuncia as promessas que Costa cumpre e também as que não cumpre...
Câmara de Lisboa perdoa 1,8 milhões de euros ao Benfica
Mais uma do Costa das Índias!...
PNR identifica o inimigo público nº1 de Portugal e dos Portugueses
PNR denuncia as intenções anti-portuguesas do cada vez mais provável futuro primeiro-ministro
De Lisboa a “Lismá”: PNR denuncia o legado de António Costa
Futuro primeiro-ministro dá 40 mil euros à Fundação Mário Soares

Entretanto, no "Brasíu"... (10)


«Uma professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), na cidade de Jequiê, no interior daquele estado brasileiro, está a provocar uma enorme polémica naquele estabelecimento de ensino superior e nas redes sociais, depois de ter exemplificado durante uma aula como se coloca um preservativo com a boca no órgão sexual masculino.»

Isto sim, é educação sexual de qualidade, vanguardista, progressista e moderna! E ainda dizem que o Brasil é atrasado, pá!... 

A Alemanha anda a tentar superar a Suécia...


     A cidade de Colónia, na Alemanha, parece estar a transformar-se cada vez mais num pardieiro multicultural. Já aqui vos mostrei o enriquecimento vibrante a que as mulheres alemãs têm sido sujeitas nessa cidade, uma situação que não parece incomodar nadinha os responsáveis cristãos locais, que chegaram ao cúmulo desligar as luzes da grande catedral em protesto contra uma manifestação anti-islamização, e cujo arcebispo mandou trazer um barco alegadamente utilizado por "refugiados" para o meio da praça adjacente à catedral como forma de acentuar o complexo de culpa dos alemães.

Pois bem, esta cidade alemã, que parece apostada em ultrapassar a demência suicida dos centros urbanos suecos, deu recentemente mais um passo rumo ao abismo da utopia multiculturalista:

«A Presidente da Câmara Municipal de Colónia, Henriette Reker, decidiu distribuir pulseiras com a palavra "respeito" para encorajar o entendimento entre diferentes indivíduos na noite da passagem de ano. Numa conferência de imprensa, Reker disse que esta campanha tinha como objectivo dizer às pessoas para não cometerem ataques sexuais, ou dispararem dispositivos pirotécnicos sobre outros indivíduos, edifícios ou polícia. A intenção é que as pulseiras alertem os outros para a necessidade de ser respeitosos ao abordar quem as usar, para assim prevenir potenciais ataques sexuais.»


Isto vai mesmo resultar! A teoria do bom selvagem nunca falha!


Mais do que o ridículo confrangedor desta campanha, é completamente surreal que uma autarca europeia -ainda por cima do sexo (e não "género") feminino-, possa fazer uma coisa destas aos seus munícipes sem que haja uma revolta popular. Porque esta iniciativa é, objectivamente, gozar com a cara das mulheres de Colónia, é usar o dinheiro dos contribuintes para fazer o mesmo que nada.

Por outro lado, o Estado da Renânia do Norte-Vestefália, ao qual a cidade de Colónia pertence, foi um dos que mais votos deu à porca ex-Stasi Angela Mer(d)kel e menos votos deu à AfD... portanto, cada um tem o que merece!

____________
Ver também:

Olha que "surpresa": «Quase todos os suspeitos da violência sexual em Colónia são estrangeiros»
O Arcebispo de Colónia volta a atacar!
Mais um clérigo cristão traidor...
Ainda sobre os gangues sexuais de Colónia...
Paul Joseph Watson: «A violação da Europa»
Três adolescentes alemãs molestadas por "pobres coitadinhos" em fesitval multicultural
Pat Condell: «A traição da Europa às mulheres»
Não se pense que é só na Alemanha...
A entrada continuada de mais homens imigrantes vai levar a mais casos de abuso sexual (Daily Mail
Mais cidades europeias reportam casos de ataques sexuais na noite da passagem de ano (Atlas Shrugs)
Um obscuro óbvio (Lura do Grilo)
Três reacções "regressivas" aos ataques sexuais de Colónia (Rubin Report)
Assaltos e violações em Colónia (Blogue do FireHead)
Refugees Welcome! (História Maximus)
Ataques a mulheres durante a passagem de ano chocam Alemanha (A-24 Notícias*Estudos*Opinião)
Os ataques sexuais da passagem de ano de 2015 em Colónia (Sargão da Arcádia - YouTube)
Vítimas dos ataques sexuais de Colónia descrevem o sucedido (ODN - YouTube

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Vice, a extrema-esquerda em todo o seu esplendor!


     Nunca é demais relembrar: uma das mentiras mais repetidas ao longo das últimas décadas pelos globalistas e pelo esquerdalho é que os europeus jamais teriam de abdicar do que quer que fosse em consequência da imigração. E, no entanto...


Pois é, "os brancos têm de aprender a integrar-se"... na sua própria terra! Mas não se preocupem, caros leitores, jamais teremos de abdicar do que quer que seja por causa da imigração, hããã! Pensar o contrário é acreditar nas teorias da conspiração engendradas pela "pavorosa extrema-direita"! E claro, também é raciiiiiiiiiismo, o pecado mais grave que se pode cometer!!!

Porque será?...


    Em Espanha só se fala de Rodrigo Lanza, um assassino esquerdalhista que deixou um agente da polícia tetraplégico em 2006 e matou outro homem à pancada mais recentemente apenas por este usar uns suspensórios com a bandeira de Espanha. Após o primeiro crime, o animal foi condenado a 5 anos de prisão, em 2008. Mas, como vai sendo hábito nesta triste Europa, o canalha cumpriu apenas dois anos. Jurou vingança... e, há uns dias atrás, cumpriu esse juramento.

Rodrigo Lanza: uma besta sanguinária, um terrorista de Esquerda.


Mas para além da notícia, há uma pergunta que é inevitável: porque será que os mé(r)dia "tugas" não disseram nada acerca deste criminoso genocida? Logo eles, que não perdem uma ocasião de mostrar criminosos brancos! A sério, porque será?...

____________
Ver também:


Extrema esquerda mata com barras de ferro em Espanha (Lura do Grilo)
Vítima do terrorismo esquerdalhista defende a Segunda Emenda
Paul Joseph Watson: «Terrorismo de Esquerda» (com legendas)
O silêncio quase completo dos mé(r)dia "tugas" sobre este caso...
Entranto, nos EUA (9): os patriotas combatem os antifas na rua!
Porque é que o comunismo não é tão criticado nem causa tanta repulsa como o nazismo?

Afinal, não são assim tão Raríssimas...


«Usa instituição de apoio a deficientes para facturar: Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados da Guarda garante dezenas de contratos a empresas de vice-presidente.»

 O fulano em causa: segundo alguns entendidos da nossa praça, só poderá ser judeu...

«José Sequeira Abrantes, ex-vice-presidente da Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados da Guarda (CERCIG), acaba de ser acusado de um crime de participação económica em negócio, punível com cinco anos de prisão. Segundo o Ministério Público (MP), Abrantes usou aquela instituição de solidariedade social para garantir dezenas de contratos a duas empresas de que era sócio-gerente.»

Nas últimas eleições presidenciais, tivemos um candidato cuja grande prioridade era o combate à corrupção. Não surpreendentemente, obteve um resultado medíocre nas urnas, porque o povo  português ainda não percebeu -nem parece querer perceber- que o caso Raríssimas não tem nada de raro, é muito provavelmente a regra no nosso país...

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Rectificação da posta anterior


    Parece que afinal a informação que tinha publicado na posta que fiz há uns minutos não foi divulgada pelo Julian Assange, mas sim por alguém que se fez passar por ele, pelo que não posso confirmar a sua autenticidade. Por conseguinte, decidi apagar a posta. Para fake news, já nos chegam os grandes mé(r)dia.


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

«Os europeus perderam o "sentido trágico da vida"»


«A cultura produzida pelos tributários da herança judaico-cristã, pelos gregos e pelos romanos da Antiguidade e pelas descobertas do Iluminismo não foi igualada por mais nenhuma. Mas o acto final dessa cultura está a concretizar-se devido ao encadeamento de duas situações das quais parece ser impossível recuperar.



A primeira dessas situações é o movimento em massa de populações para a Europa. Este processo começou um pouco em todos os países europeus a seguir à Segunda Grande Guerra, numa tentativa de dar resposta à falta de mão-de-obra. Só que a Europa ficou viciada em imigração pouco tempo depois, não mais sendo capaz de travar os fluxos (i)migratórios, mesmo que o tivesse desejado. O resultado foi que a Europa, até então a casa dos povos europeus, transformou-se gradualmente numa casa para os povos de todo o mundo. Os lugares que eram europeus transformaram-se gradualmente em lugares estrangeiros. Por exemplo, as áreas dominadas por paquistaneses passaram a assemelhar-se ao Paquistão em tudo menos na sua localização, com ambos novos imigrantes e descendentes das primeiras vagas imigratórias a comer os pratos típicos, a falar a língua e a praticar a religião do seu país de origem. As ruas das cidades frias e chuvosas do Norte da Europa encheram-se de pessoas vestidas para a vida nas colinas do Paquistão ou para as tempestades de areias das Arábias. “O império contra-ataca”, fizeram notar alguns observadores, com um sorriso vingativo mal-disfarçado. Mas enquanto os impérios europeus acabaram por ser derrubados, a intenção é que estas novas colónias perdurem para sempre.

Durante todo este tempo, os europeus encontraram sempre formas de fingir que tudo isto poderia funcionar. Insistindo, por exemplo, que este género e níveis de imigração eram normais. Ou que se a integração não acontecia com a primeira geração de imigrantes, haveria de consumar-se com os seus filhos, netos ou com outra geração vindoura. Ou até que não importava que os imigrantes se integrassem ou não. Durante todo este tempo, nós descartámos a grande probabilidade de que nada disto funcionasse. Só que o não funcionar é uma conclusão que a recente crise (i)migratória apenas acentuou.

O que me leva à segunda situação da qual parece ser impossível a Europa recuperar. Até mesmo o movimento de milhões de pessoas para a Europa não seria suficiente para fazer entoar a nota final do Velho Continente, não fosse o facto de que, em simultâneo (e coincidentemente ou não), a Europa perdeu as suas crenças, tradições e legitimidade. Há muitos factores que contribuíram para este desenvolvimento, sendo um deles a forma como os oeste-europeus perderam aquilo a que o filósofo espanhol Miguel de Unamuno chamou celebremente o “sentido trágico da vida”. Os oeste-europeus esqueceram aquilo que Zweig e a sua geração aprenderam de forma trágica: tudo aquilo que amamos, até as maiores e mais cultivadas civilizações da História, podem ser arruinadas por pessoas que não são dignas delas. Uma das formas de evitar este sentido trágico da vida é, em vez de simplesmente ignorá-lo, escorraçá-lo da nossa forma de ver o mundo através da crença na inevitabilidade do progresso humano. Esta táctica parece constituir, no presente, a abordagem mais popular.

Contudo, essa abordagem implica passar por cima de -e às vezes cair em- dúvidas terríveis que nós próprios criámos. Mais do que qualquer continente ou cultura hoje no mundo, a Europa está profundamente vergada pela culpa em relação ao seu passado. E em paralelo a esta versão aberta de autodesconfiança, há uma outra versão mais introvertida da mesma culpa. A Europa padece também de um problema de cansaço existencial e um sentimento de que, talvez, a história da Europa esteja a terminar o seu curso e seja agora altura de começar uma história nova. A imigração em massa -a substituição de grande parte das populações europeias por outras gentes -é uma das formas de imaginar esta história nova: uma mudança, parecemos ter pensado, seria tão boa como uma paragem. Este cansaço existencial e civilizacional não é um fenómeno exclusivo da Europa moderna, mas o facto de uma sociedade sentir que o seu curso está a terminar precisamente quando uma nova sociedade começou a deslocar-se para o seu território só pode levar a mudanças históricas dramáticas.»
-Douglas Murray em «A Estranha Morte da Europa»
(traduzido por Afonso de Portugal) 


De referir que tanto o complexo de culpa do Ocidente como o "cansaço existencial e civilizacional" a que o Sr. Murray se refere foram criados forma artificial e gradual pelas elites ocidentais ao longo de pelo menos três séculos, desde que Rosseau argumentou que o ser humano é bom por natureza e que a sociedade, em particular a arte e a ciência, é que nos tornam maus. A emergência do marxismo no séc. XIX e do pós-modernismo no séc. XX contribuíram largamente para o crescimento continuado e para a disseminação da ideia de que a Europa é uma civilização malévola, mas a semente original desta maleita já tinho sido lançada à terra em meados do séc. XVIII.

O motivo pelo qual chamo a atenção para isto é que é preciso ter em conta que não são os povos europeus que estão cansados das suas sociedade e civilização, mas sim as suas elites. E não é que elas estejam realmente cansadas, o que se passa é que o paradigma de enriquecimento continuado que circunscreve a sua idiossincrasia exige a abertura da Europa ao mundo para que, em contrapartida, as classes abastadas da Europa possam aceder aos mercados e aos recursos do resto do planeta. Este é o grande problema da Europa neste momento: há uma classe dominante -a superclasse- que decidiu acabar com a Europa para continuar a enriquecer.

Como se isto não bastasse, temos mais dois problemas. Paralelamente aos anseios desta burguesia mundialista, há pelo menos outras duas grandes forças que fomentam a imigração: (1) a esquerda e (2) as confissões religiosas. Em relação à esquerda, o grande objectivo é destruir a cultura local e, em simultâneo,  recolher os votos dos imigrantes, subvertendo o processo democrático a seu favor. Já aquilo a que assistimos nas confissões religiosas, com especial destaque para a ICAR liderada pelo escroque Bergoglio, constitui uma tentativa desesperada de renovar os fiéis, cujo número se encontra em declínio na Europa e na América do Norte há já muitas décadas mas que -e aqui reside a chave para compreender o fenómeno- continua a crescer no resto do mundo, em especial em África.

____________
Ver também:


«A Europa está a cometer suicídio»
Porque é que a esquerda incentiva a iminvasão?

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Um "jovem" traquinas a divertir-se algures na Amadora...


     Um muito obrigado! ao Raghnar por nos ter trazido aqui este artigo com o vídeo curtinho que se segue, que é especialmente vibrante! Nem vou dizer mais nada, para não estragar a surpresa! 😉

domingo, 10 de dezembro de 2017

Como trollar uma feminista! (com legendas)


     Aqui fica um vídeo hilariante protagonizado por Gavin McInnes, Sean Hannity e uma tontinha feminista completamente irrelevante... 😂

Sobre o homicida do segurança assassinado Vernes em Lisboa...


     O nosso camarada Caturo divulgou, no seu blogue Gladius, este caso cada vez mais típico das noites lisboetas: um segurança português de 42 anos foi abatido a tiro à porta da discoteca onde trabalhava, por um jovem (ou seria um "jovem"?) vingativo de 17 anos que não aceitou que lhe tivesse sido recusada a entrada naquele "estabelecimento de diversão nocturna".

Ora, na sua edição internética de hoje, o Correio Manhoso publicou inúmeras fotos da vítima, aqui e também aqui. É realmente muito estranho que, no meio de tantas fotografias, não haja uma única imagem do jovem (ou seria um "jovem"?) homicida, nem no Correio Manhoso, nem em qualquer um dos outros jornais (des)informativos aqui do rectângulo.

Por outro lado, olhando para o interior da discoteca em causa numa noite típica, não se percebe porque diabo seria barrada a entrada a um "jovem", tendo em conta a quantidade deles (e de casalinhos multirraciais) que podemos ver:


Enfim, lá teremos de ficar assim, sem saber ao certo a "idade" do criminoso...

___________ 
Ver também: 

Em zona altamente africanizada: segurança de discoteca morto a tiro (Gladius)
Mais um jovem "enriquecido" no Cais do Sodré
No Cais do Sodré (em Lisboa): "jovens" esfaquearam gravemente um homem
Mais dois detidos por agressões e navalhadas em Lisboa (Cais do Sodré)
Seis "jovens" detidos em Lisboa por "prática reiterada" de roubos em Lisboa (B.º Alto e Cais do Sodré)
Em Porto Covo (Sines, Setúbal): "jovens" enriquecem-se mutuamente
Empresário enriquecido por "jovens" em Agualva (Sintra)
Em Lisboa: "jovem" agente da polícia "espalhou terror" em assalto a bordel nos Olivais
Em zona altamente africanizada: quatro seguranças esfaqueadosMais uma historiazinha vibrante do Seixal...
Lusofonia vibrante: alógeno mata segurança por "motivo fútil" Os estranhos casos de violação nas noites de Lisboa Mais um agente da PSP agredido no Seixal...
Racismo anti-branco em Portugal: menina de 13 anos agredida por quatro "jovens" no Seixal
Em zona altamente africanizada: PSP detém dois por roubos e agressões
Em zona altamente africanizada: karma apanha dois jornalistas da RTP!
Em Coimbra: segurança guineense abatido a tiro por assassino brasuca
Fuzileiro trava a tiro terror em discoteca... na Alemanha? Nos EUA? Não, aqui Portugal!
Em zona altamente africanizada: polícia teve de usar fogo real para travar luta em discoteca

Presidentes há muitos...


...mas Presidentes que cumprem as suas promessas, só há mesmo um:

Uso e porte de arma: um direito fundamental, para toda a família!


Mais um caso que deita por terra a narrativa dos tiranos que querem impedir o povo de ter armas:

«Um homem do Texas (EUA) que tinha ido jantar fora com a sua família matou um homem que estava a tentar roubar o restaurante.»

 O lugar onde tudo aconteceu... infelizmente, não consegui encontrar fotos do assaltante.
Portanto, teremos de ficar sem saber a sua "idade", se é que faço entender...

«A família estava a jantar num restaurante em San António, quando um homem entrou, por volta das 20h30, e ameaçou o pai enquanto os seus filhos estavam na casa de banho. "O assaltante, que tinha em sua posse uma arma de fogo, ameaçou o pai", contou o Capitão Michael Starnes, do Departamento de Polícia de San António.

O homem armado exigira o dinheiro da família, mas o pai dissera que não lhe daria nada, ao mesmo tempo que tentara chamar a atenção dos empregados do restaurante. A situação escalou e, a certa altura, o assaltante ameaçou também os funcionários, que fugiram para as traseiras do recinto. Então, o criminoso voltou novamente a ameaçar a família, apontando-lhes a arma. O pai reagiu, sacando a sua própria arma legal e alvejando o meliante, que morreu no local.»

Uma história com final feliz mas que (1) dificilmente seria possível em Portugal, porque a esmagadora maioria dos nossos cidadãos não tem armas, sobretudo armas legais; (2) é uma história que jamais veremos nos nossos grandes mé(r)dia, porque os seus donos querem os cidadãos à sua mercê; e (3) é uma história cuja lição parece não sensibilizar os portugueses que, bovinamente, continuam a não querer perceber que é o Estado que deve temer o povo e não o povo que deve temer o Estado.

Pedófilo muslo que era médico da selecção olímpica de ginástica dos EUA condenado a 60 anos de prisão


Mais um taradão pedófilo islâmico (passe a redundância) a abusar de crianças brancas com a conivência das elites brancas:

«Um antigo médico da selecção de ginástica olímpica dos EUA foi condenado a 60 anos de prisão pelo Tribunal Federal de Grand Rapids, no estado do Michigan, por porngrafia de menores.

Larry Nassar, de 54 anos, declarou-se culpado em Julho de 3 crimes de pornografia infantil. Cerca de 37 mil imagens e vídeos foram encontrados no seu computador e no seu disco externo. "Ele  mostrou que nunca mais pode ter acesso a crianças", disse a juíza federal Janet Neff. Nassar recebeu a mais alta sentença possível, 20 anos por cada crime.»

 A ex-atleta olímpica Aly Raisman, uma das muitas vítimas do taradão muslo.

Mas o médico também é acusado de ter atacado sexualmente várias mulheres, incluindo três raparigas menores da equipa de ginástica. Aly Raisman, que ganhou uma medalha de ouro olímpica, afirmou que Nassar abusou dela várias vezes, a primeira quando ela tinha apenas 13 anos. McKayla Maroney, outra atleta olímpica galardoada com a  medalha de ouro, referiu-se a Nassar como "um monstro", acusando-o de a ter molestado sexualmente aos 13 anos.»

Agora resta saber como é que estas meninas ficaram sozinhas com o pedófilo muslo, logo no país mais rico e tecnologicamente desenvolvido de todo o mundo, sobretudo tendo em conta que o predador atacou também mulheres adultas que deviam ter intervindo e auxiliado as menores...