quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Escolhem-se nomes cada vez mais exóticos em Portugal


Um muito obrigado! ao Ivan Baptista que nos trouxe aqui esta sintomática notícia:

«Na lista dos nomes aprovados pelas conservatórias do último ano constam Hillary, Barack, Melania, Adele. São cada vez mais os pais a optarem por nomes que exigem aprovação superior, ou seja, que requerem aval do presidente do Conselho Diretivo do Instituto de Registos e Notariado (IRN).»

Um dos "novos portugueses"...

«Nos primeiros nove meses de 2016, foram solicitados ao IRN 794 nomes fora do comum. Tudo indica que os pedidos sejam superiores aos do ano passado, um total de 1122. Em 2014, tinham sido 976. Em pouco mais de dois anos e meio, somam-se 2892 pedidos extravagantes.

Passando os olhos pela última lista disponível (2015), podem encontrar-se registo de nomes como Liv, Pia, Or, Arline, Tesla, Penka, Melania, Brooklyn, Excel, Shakira, Ryhanna. Na tabela das aprovações de nomes masculinos sobressaem, entre outros, Hur, Summer [masculino?], Iker, Bruce, Justice, Umar, Efraim, Zidane, Dylan.

Estas terão sido as solicitações remetidos por estrangeiros residentes em Portugal, uma vez que esse é o pressuposto para poder obter nomes não portugueses, explica o Ministério da Justiça. "São admitidos os nomes próprios estrangeiros sob a forma original se o registado for estrangeiro, houver nascido no estrangeiro ou tiver outra nacionalidade além da portuguesa". Para os portugueses, "os nomes próprios devem ser portugueses, de entre os constantes da onomástica nacional ou adaptados, gráfica e foneticamente, à língua portuguesa, não devendo suscitar dúvidas sobre o sexo do registando".

A tabela, porém, é partilhada: os nomes que parecem estrangeiros misturam-se com os de língua portuguesa e também aqui a criatividade se revela fértil. Vejamos: o documento dá conta de bebés chamadas Rosamar, Mariamar, Águeda, Afonsa, Sibila, Deusa, Felicidade - todos submetidos e aprovados durante o ano de 2015.

No painel masculino, saltam à vista Tristão, Joseberto, Nemésio, Amândio, Messias, Príncipe e Ronaldo.


Maria e João na liderança

Exotismos e modismos à parte, os portugueses têm preferências mais clássicas. Para menina, os nomes preferidos, e por esta ordem, foram Maria, Leonor, Matilde, Beatriz e Carolina. Já nos rapazes, as opções têm recaído em João, Martim, Rodrigo, Santiago e Francisco.

No caso das raparigas, o consenso à volta dos nomes até é maior, dado que Maria foi o nome escolhido pelos pais para 5324 bebés, enquanto o nome mais popular para os rapazes - João - foi atribuído por 1932 vezes.


26 Muhammad

No ano de 2015, 26 crianças foram chamadas Muhammad em Portugal.


672 José

O nome José parece ter voltado a estar na moda. Foram registados 672 rapazes com esta identificação.

Luati e Inocêncio

Entre os nomes aprovados uma vez em 2016 figuram Luati, Belmiro, Inocêncio, Beto. [Meter o Luati no mesmo saco dos outros é ridículo, mas pronto...]


22 Carla

Os nomes Carla, Cristina e Susana estão a perder popularidade. No último ano, foram escolhidos apenas 22 vezes cada um. Paula é outro dos que perderam favoritismo, só foi escolhido 20 vezes.

Francisca e Madalena

Em voga parecem estar os nomes Francisca e Madalena, escolhidos 755 e 539 vezes em 2015.


Pia, Xila e Leya

Entre os nomes mais estranhos aprovados uma única vez em 2015 estão Leya, Xila e Pia. Joaninha, Rubi, Elisete são outros exemplos.


Luz e Diva

Da lista de 2015 constam ainda uma Luz e cinco Divas.»

Bem, no fim de lermos este artigo deprimente, ficamos com o magro consolo de que, comparando com o resto da Europa civilizada, ainda temos poucos maomés... o que não nos adiantará grande coisa se eles tomarem conta do resto da Euráb... eeer... da Europa! 

Três vídeos que vale a pena ver (37)


1. Black Pigeon Speaks (BPS): «o Japão não será contaminado pelo Islão»; é raro encontrarmos vídeos do grande BPS traduzidos em português, mas este é uma honrosa excepção. A tradutora só podia ser a brasileira Khadija Kafir, que tem feito um execelente trabalho no seu canal do YouTube. O BPS discute porque é que a islamização tem tido muito pouco sucesso no Japão. Quem não conhecer a cultura japonesa, só poderá ficar chocado!




2. Vladimir Putin: «esses jornalistas são piores do que prostitutas»; o Presidente da Federação Russa pronuncia-se acerca do dossier anti-Trump publicado na íntegra pelo site esquerdalhista Buzzfeed e em parte pela Clinton News Netwrok (CNN). Putin desconstrói as teorias da conspiração de uma forma tão brilhante quanto hilariante... até Igor Dodon, o Presidente da Moldávia que está ao seu lado direito, tem dificuldades em disfarçar o riso por volta dos 39 segundos...




3. Vox Populi: «Guerra na Síria (Gás & Petróleo)»; e por falar em Rússia, aqui fica um vídeo sobre a guerra na Síria que, apesar de ter sido realizado pela RTP, é bastante equilibrado. O carregamento foi efectuado pelo(a) Vox Populi, um YouTuber português cujo canal é recente. Tem apenas 5 subscritores, mas muitos vídeos interessantes, portanto subscrevam-se!

Adolescente britânico brutalmente espancado enriquecido por adeptos da "religião da paz"


Este caso já ocorreu no dia 16 de Dezembro, mas vale sempre a pena divulgá-lo:

«No dia 16 de Dezembro, o jovem James Toolan, de 18 anos, provou o sabor do multiculturalismo. Enquanto esperava por um táxi, juntamente com dois amigos, na cidade de Manchester, um grupo de 8 muçulmanos aproximou-se e espancou os três jovens, sem qualquer aviso ou provocação.»

O jovem James Toolan enriquecido pela diversidade vibrante do Islão! Allahu akbar, carago!

A verdade é que o James até teve bastante sorte... há miúdos europeus que foram muito mais enriquecidos!

Mais um português assassinado em Angola (7)


«Um português de 22 anos foi morto a tiro em Benguela, Angola, quando tentava acudir ao pai, que estava a ser assaltado à porta de casa, no centro daquela cidade, indicou, esta quinta-feira este Joves, fonte consular.

O caso aconteceu cerca das 23 horas locais (22 em Portugal continental) de terça-feira Martes, quando o pai, o antigo chanceler de Portugal em Benguela, Francisco Borges, foi surpreendido por um assaltante munido com uma arma branca.

A mesma fonte descreveu à Lusa que o antigo funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal (reformado), resistiu ao assalto, tendo sofrido vários golpes e ferimentos. Ao tentar acudir, o filho, que se encontrava em casa, foi atingido com tiros de metralhadora de outro assaltante, acabando por falecer no Hospital Geral de Benguela.


Os homens colocaram-se em fuga, estando o caso em investigação pela polícia. Apesar de nacionalidade portuguesa, a família da vítima está há vários anos radicada em Benguela, estando o funeral do jovem previsto para hoje, num cemitério de Benguela.»

____________
Ver também:

Mais um português assassinado em Angola (6)
Mais um português assassinado em Angola (5)
Mais um português assassinado em Angola (4)
Mais um português assassinado em Angola (3)
Mais um português assassinado em Angola (2)
Mais um português assassinado em Angola
Lusofonia vibrante: casal "português" assasinado em Angola! 
Há dois mil portugueses com salários em atraso em Angola
Absolutamente lamentável: 9 mil portugueses inscritos em portal de emprego Angolano
Elite teme regresso de portugueses emigrados 
Depois do The Guardian, é a vez de o El País ridicularizar a relação entre Portugal e Angola

Nazionalizmo: falsa oposição (2)?


Bastante curioso, este artigo ridículo no Renegade Tribune, bem esclarecedor da insanidade paranóica dos nazionaliztas. Foi escrito por um paspalho que era leitor assíduo do Daily Stormer, mas que um dia se chateou com o Andrew Anglin e decidiu que "o Anglin é falsa oposição, pá!".

Nunca falha: sempre que um nacionalista ou grupo de nacionalistas ganha alguma popularidade, os broncos do costume caem-lhe em cima com a acusação ridícula e imbecil do costume: "Ai, são oposição controlada, agentes dos judeus!!!"

Afinal quem é que é realmente "oposição controlada" e "agente dos judeus", aqueles que trabalham todos os dias para trazer mais gente para o movimento nacionalista, sobretudo mais jovens, ou os broncos autistas que continuam a alienar o nosso eleitorado?

O PNR manifestou-se contra o boicote me(r)diático a que tem sido sujeito!


Da página oficial do único partido nacionalista português, o Partido Nacional Renovador (PNR):



«No dia 14 de Janeiro, por ocasião do 4º Congresso dos Jornalistas, o PNR realizou um protesto (dia inteiro), em frente ao cinema São Jorge, em Lisboa, onde decorria a actividade. 

Num dia de vento muito frio, lá estiveram vários apoiantes do nosso partido, sem arredar pé, entre as nove horas da manhã e as sete da tarde, tendo o protesto contado com a presença de várias dezenas de pessoas que por lá passaram ao longo desse Sábado.

Ostentando bandeiras, bem como faixas e cartazes alusivos ao tema, distribuímos folhetos sobre a razão de ser do protesto, durante todo o dia, às várias centenas de pessoas que por ali passaram. Na entrada do cinema, um grupo de partidários do PNR entregava panfletos aos próprios Jornalistas, acompanhado de um lápis azul, como toque de humor sarcástico. Muitos dos mais jovens nem sabiam sequer o significado desse gesto. Já entre os mais velhos, alguns encaravam a iniciativa com algum humor e “poder de encaixe”, enquanto outros, os donos da situação, esquerdistas, nos fuzilavam com o olhar e espumavam de raiva. 

Poucos foram aqueles que tiveram coragem de nos manifestar directamente o seu apoio e concordância com a nossa reclamação. Poucos, também, foram os que tiveram a arrogância totalitária de nos enfrentar, com um discurso de ódio e discriminação que parecia saído directamente dos tempos do PREC.

Um lápis em cartão, que fizemos e pintamos de azul, foi depositado, no fim do dia, na entrada do edifício, uma vez que pedimos para sermos recebidos pela organização, tendo eles declinado por falta de tempo… A intenção era de lhes entregarmos em mão.

Terminou, assim, mais uma jornada de activismo, como sempre com o Hino Nacional, e novamente silenciada pela comunicação social, apesar de ter sido levada a cabo diante de centenas de Jornalistas… Mas o PNR não se cansará de reclamar e lutar, com toda a razão, contra o boicote cobarde do autêntico cartel que é a nossa imprensa, com a honrosa excepção de alguns órgãos de comunicação social regionais. 

É obrigação do jornalismo proporcionar uma informação isenta, rigorosa e plural, assegurando a possibilidade de expressão e confronto das diversas correntes de opinião política. Mas, apesar disso, há uma censura surda e hipócrita ao nosso partido, que nega aos portugueses o direito a serem informados com verdade acerca das diferentes propostas políticas existentes em Portugal, condicionando assim a sua livre escolha! E nega ao PNR a mais elementar justiça e direito de ter um tratamento igual aos demais partidos. Isto é crime! 

Quando Donald Trump, utilizou a expressão “You are fake news”, teve toda a razão! E nem disse que “fazem” notícias falsas, mas antes que “são” notícias falsas, pondo, assim, a tónica no carácter impregnado da podridão mentirosa da generalidade da imprensa. Sim, também em Portugal, os decisores no jornalismo e os jornalistas-carneiros, falseiam a verdade, com exagero, omissão, mentira, deformação e manipulação. Condicionam o livre pensamento das pessoas e praticam, da forma mais ignóbil, a censura que dizem condenar.

Sim, o PNR é vítima dessa censura assumida em segredo (mal escondido), por óbvio medo do nosso crescimento. Importa que os portugueses saibam desta profunda injustiça, encoberta pela grande mentira da suposta “liberdade de expressão”, e da dificuldade com que o PNR se debate por essa razão. 

O nosso partido tem sido gravemente lesado, eleitoralmente, pela desigualdade de tratamento mas, queiram ou não, gostem ou não, o nosso crescimento pode ser travado, mas não pode é ser evitado!»

Recordo aos meus leitores que o PNR apresentou recentemente provas de que os jornalistas censuram os nacionalistas.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Da hipocrisia me(r)diática...


Já foi em Julho, mas vale a pena falar neste caso. Nos EUA, uma  jornalista negra comentou a forma como a nova primeira-dama e a grande derrotada bruxa Hilária se vestiram todas de branco. Quando a Melania Trump se vestiu de branco, foi "assustador" porque foi uma mostra de racismo institucionalizado. Mas quando a bruxa Hilária se vestiu de branco, demonstrou ser "suave e forte" e até "presidencial", quase como se se tratasse do papa!

Ora, a diferença temporal entre os dois artigos é de apenas 9 dias! Digam lá se isto não é jornalismo do mais alto nível!!!



Finalmente detido romeno que violou e matou enteada portuguesa de apenas 16 anos


«Um homem suspeito de ter matado uma jovem em Dezembro de 2014 em Aljezur, no Algarve, foi detido na terça-feira Martes na Roménia, no âmbito de um mandado de detenção europeu, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ indicou que o homem, de 35 anos, "está fortemente indiciado pelo homicídio da sua enteada, uma rapariga, de 16 anos, crime que ocorreu em Dezembro de 2014, em Aljezur, num quadro de extrema violência física, tendo o suspeito ocultado o cadáver, no sentido de destruir elementos de prova e encetado a fuga".»

 A vítima, Bruna Nunes. Podia ter sido mãe de portugueses, mas foi morta por um iminvasor covarde.

«O suspeito foi detido pelas autoridades romenas no âmbito de um mandado de detenção europeu emitido pelo Ministério Público de Lagos, na sequência da investigação desenvolvida pelo Departamento de Investigação Criminal de Portimão da PJ.»


O grandessíssimo filho da puta que matou a Bruna.

«O homem, de nacionalidade romena, é o presumível autor da morte de Bruna Nunes, de 16 anos, cujo corpo foi encontrado três dias depois do seu desaparecimento, com as mãos atadas e sinais de ter sido asfixiada, num terreno baldio em Aldeia Velha, no concelho de Aljezur, no Algarve.

O detido, que vivia com a mãe da jovem, na freguesia do Rogil, naquele concelho algarvio, abandonou a residência dois dias depois do desaparecimento da adolescente, que estudava na cidade de Lagos e era atleta de patins em linha.

O detido vai ser presente às autoridades judiciais romenas com vista à sua entrega a Portugal.»

Estranhamente, o texto da notícia não menciona que o padrasto romeno terá violado a jovem Bruna, contrariamente ao que menciona no seu título. Deixo ainda um elogio especial à mãe da Bruna, que claramente sabe escolher os seus homens criteriosamente...

Pérola anti-Trump no Correio da Mamã!


O CM deve estar a ficar farto de ser o jornal mais vendido de Portugal, porque hoje desceu ao nível do Al-Público e do Observador da "direitinha". Numa notícia em que nos informa que uma mulher vai avançar com um processo contra o Donald Trump por assédio sexual, o escriba termina assim:

«Mais de 50% das mulheres brancas norte-americanas votaram em Trump nas presidenciais de 08 de Novembro do ano passado, o que sugere que se dispuseram a pôr de lado os seus comentários machistas e misóginos e as acções judiciais, mas, em contraste, foram muito menos as mulheres negras e hispânicas que nele votaram.»

Representar Trump como um misógino descerebrado: um novo clássico dos mé(r)dia ocidentais!


Ou seja, o CM está a sugerir que as mulheres brancas foram mais estúpidas do que as mulheres negras e hispânicas, que viram o sexismo de Trump enquanto as mulheres brancas não! Sim, sim, só pode ter sido isso que aconteceu! O raio das mulheres brancas, essas grandes estúpidas, pá!!!

Além disso, há uma confusão deliberada entre meras acusações e acções judiciais... houve várias acusações contra o Sr. Trump durante a campanha eleitoral, mas só houve uma acção judicial contra ele, que -surpresa, surpresa- acabou por ser cancelada! E o mais surreal de tudo é que esta notícia do CM diz isso mesmo!!!

A isto, caros leitores, chama-se jornalismo tendencioso. O que vale é que esta táctica imbecil não resultou durante a campanha e não resultará enquanto Trump não for efectivamente condenado por assédio. É que, contrariamente ao que a pessoa que escreveu esta pérola julga, as mulheres brancas não são tão estúpidas a ponto de se deixarem manipular assim tão facilmente...