quarta-feira, 19 de julho de 2017

Três vídeos que vale a pena ver (50): Lauren Southern em Paris


     Um muito obrigado! ao Armor King por nos ter trazido aqui os primeiros dois dos três vídeos que vos mostro hoje. A  Lauren Southern tem estado em Paris e decidiu filmar as ruas da capital francesa... e interagir com os "nativos", para nos dar uma ideia do quão exótica, diversa e vibrante a "cidade do amor" se tornou! 😖


1. As ruas de Paris (que vibrante, pá!)




2. Uma estação de comboio de Paris (ainda mais vibrante, pá!)




3. A grande substituição: este vídeo já não é apenas sobre a França; nele, a Lauren partilha connosco vários dados e observações sobre as alterações demográficas em curso em vários países da Europa.

47 comentários:

CENSURADO AGAIN disse...

o que eu acho tosco é que eles ocupam ruas como se aquilo fosse deles e os nativos tivessem obrigação de se substituirem por aquilo ou seja sair da sua propria civilização e dar pra eles ate aquilo virar uma detroit falida sem solução na verdade deve ser um processo que vai ocorrendo com o influxo deles pois tudo vai se desvalorizando ou seja se replicam por mil e a obrigação de arcar com a gozada deles é sempre culpa dos que invadem aliás a nato metida no leste só é mais um pretexto para o mesmo pois ela estaria melhor no med fazendo uma muralha mas claro isso não interessa ao regime ate as papoulas da apalachia golem valem mais

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

Caro Afonso

É só pretos e muslins ...... cadê os franciu ???????????
Isto está a ficar cada vez mais lindo.

PRETOS
MUSLINS
PANELEIROS
LÉSBICAS
CHINAS

Em breve, muito em breve os europeus serão uma raça em extinção !!!!!!!!!
O Dr. Gentil Martins é que tem toda a razão
Abraços.

Ramiro Lopes Andrade

Anónimo disse...

Que lindo! Paris (e quase todas as metrópoles europeias) são o sonho das elites liberais e esquerdistas tornado realidade.Estou ansioso por passear pelas ruas da "cidade do amor" com a minha companheira.

Bem diz a Ana Gomes e o Costa e outras figuras esquerdistas que é "inaceitavel ir na conversa racista e xenofoba da extrema-direita" "que viola os human rights" e bem dizem os liberalecos ao estilo CDS que os "migrantes são vitais para fazer renascer a demografia europeia e estimular a democracia" é importante continuar o lindo serviço até não haverem vestigios de europeus.

Ass: FdT

Anónimo disse...

Já agora deixo lhe aqui um texto que um professor da Universidade de Coimbra postou (ou cagou) no seu mural do Facebook, delicie-se:

"Desbanalizar o banal

As pessoas da minha geração (tenho 54 anos) vivem hoje num lugar tão, mas TÃO diferente do que era o Portugal em que vivíamos quando eu era jovem. Quando aconteceu o 25 de Abril eu tinha apenas 11 anos, portanto não posso dizer que tenha grandes memórias directas do que era viver no Portugal de Salazar. A memória mais viva do Estado Novo que me ficou na memória foi quando o meu pai estava a dar aulas numa universidade americana e a minha mãe foi impedida de embarcar no avião que a levaria para os EUA, para ir ter com o meu pai, porque não tinha um documento de autorização do marido para sair do país.

Que fosse necessária uma autorização do marido para a mulher sair do país era algo de perfeitamente banal antes do 25 de Abril. A seguir à revolução, coisas desse género passaram da categoria do banal para a categoria do inaceitável. Para um cidadão português de hoje, isso é coisa de Arábia Saudita - não é uma realidade em que qualquer pessoa portuguesa hoje aceitasse viver.

No entanto, embora já estivesse longe o pré 25 de Abril quando eu era jovem e estudante universitário, muitas coisas do pré 25 de Abril continuavam tão banais nos anos 80 quanto tinham sido até 1974. Na nossa faculdade, tínhamos um professor - homem que intelectualmente eu admirava imenso - que falava muitas vezes informalmente comigo e com outro colega meu, chegando por vezes a convidar-nos para tomar café no bar. Nós ficávamos ali sentados, maravilhados com tantas coisas fascinantes e inteligentes que ele dizia, e até trocávamos olhares divertidos quando ele se saía com comentários homofóbicos, porque era banal naquela altura, ninguém pensava duas vezes; e o que eu e o meu colega achávamos divertido era a gafe de ele dizer aquilo à nossa frente sem saber que eu era homossexual (também era banal naquele tempo a presunção de heterossexualidade de toda a gente: um rapaz para ter "fama de maricas" tinha eventualmente de pintar as unhas ou assim).

Como filho que eu era de um professor catedrático da mesma faculdade, tive o "privilégio" de fazer o meu curso com todos os mimos do grande exército de funcionárias daquela instituição, com quem eu tinha excelentes relações (eu era para algumas delas "o meu menino" e "o meu Frederiquinho"). Era banal a Dona Y e a Dona X referirem-se às colegas pelo nome próprio - a não ser no caso, igualmente banal, em que aplicavam a uma dessas colegas a designação "a preta". Tenho a maior vergonha de dizer que, até hoje, não sei o nome dessa funcionária a que as outras se referiam nesses termos.

Eu devia ter dito alguma coisa ao nosso professor? Eu devia ter dito alguma coisa às senhoras que se referiam à colega por meio daquela designação? Mas... não era banal? Não era o que toda a gente dizia? Se eu dissesse alguma coisa ainda ficavam todos ofendidos comigo. Não fui capaz, nunca, de abrir a boca sobre este tipo de situação.

No outro dia - agora estamos em 2017 - o André e eu apanhámos um táxi em Lisboa e caiu-me a alma aos pés quando o taxista começou com o banal discurso de taxista pré 25 de Abril a dizer que o pior de Lisboa era "a pretalhada". Senti uma punhalada cardíaca e senti a garganta a sufocar - sabia que tinha de dizer ao motorista para parar de imediato o carro para sairmos. Mas não fui capaz. Senti o coração a cavalgar e os olhos a picar de lágrimas; mas não fui capaz. Chegámos ao destino. O "happpy end" da história é que o André, infinitamente mais corajoso do que eu, não deixou o homem seguir viagem sem levar uma boa bofetada verbal. Respirei fundo. Dói tanto desbanalizar o banal."

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

Censurado Novamente disse...
«o que eu acho tosco é que eles ocupam ruas como se aquilo fosse deles e os nativos tivessem obrigação de se substituirem por aquilo»

Bem, a verdade é que os nativos não parecem importar-se... afinal, votaram no lacaio globalista Macron quando podiam ter votado el Le Pen!


Ramiro Lopes Andrade disse...
«Em breve, muito em breve os europeus serão uma raça em extinção !!!!!!!!!»

Se tudo continuar como até aqui, será de facto inevitável...


«O Dr. Gentil Martins é que tem toda a razão»

Se tem... foi precisamente por isso que lhe caíram em cima! Abraços!


FdT disse...
«Estou ansioso por passear pelas ruas da "cidade do amor" com a minha companheira.»

Ui, não recomendo isso mesmo nada... ainda acabam "enriquecidos"! :P


«(...) os "migrantes são vitais para fazer renascer a demografia europeia e estimular a democracia"»

Faz sentido... trata-se da demografia "europeia" e da "democracia" dos "europeus" que mais votam neles!


«Já agora deixo lhe aqui um texto que um professor da Universidade de Coimbra postou (ou cagou) no seu mural do Facebook, delicie-se»

:| Sempre gostava de saber se o tal André teria coragem de ser capaz de "desbanalizar o banal" com uma pessoa que não fosse um simples taxista e que, como tal, precisasse do dinheiro dos André como seu cliente.

Estas bestas antirracistas são tão estupidamente arrogantes que não conseguem enfiar na cornadura que silenciar as pessoas não muda em nada a forma de pensar das pessoas. Antes pelo contrário, só contribui para acentuar rancores e ressabiamentos. Esse é um dos motivos pelo quais todos os nacionalistas devem trabalhar arduamente todos os dias e poupar todo o dinheiro que conseguirem: para que um dia já não tenhamos de trabalhar para "gente" como o André e o monte de merda que deixou essa posta!

CENSURADO AGAIN disse...

19 de julho de 2017 às 14:29

o facto de a mulher precisar de autorização mostra que ainda era sadio pois vimos no que deu a tal emancipação um monte de pvta engravidando de mil caras com a pior semente possivel os efeitos demograficos disso na semente falida são incalculaveis

CENSURADO AGAIN disse...

Bem, a verdade é que os nativos não parecem importar-se... afinal, votaram no lacaio globalista Macron quando podiam ter votado el Le Pen!

era outra farsante mas votar rotshild é foda mas o regime no fundo nem coloca ninguem isento a serio e realmente o comum prefere cerveja tv futebol bbb ir empurrando com a barriga fingir que tudo vai bem que não existe detroit nem kalergi é tudo conspiração dos nazis

Afonso de Portugal disse...

Censurado Novamente
«era outra farsante»

O problema é que, mesmo que isso seja verdade, duvido que o povo francês tenha deixado de votar nela por causa disso. A realidade é que o povo francês não quis votar nela porque a vê como "racista" e de "extrema-direita".

Às vezes quase me conveço que os nazionaliztaz têm alguma razão quanto à realidade da Democracia. Há tanta gente estúpida e masoquista entre os eleitores que até um democrata perde a esperança de que seja possível chamá-los à razão...


«mas votar rotshild é foda»

Sobretudo quando esse Rothschild é visto como "alternativa ao sistema"! É absurdo votar num ex-ministro de Hollande como "alternativa ao sistema"!


«o comum prefere cerveja tv futebol bbb ir empurrando com a barriga fingir que tudo vai bem que não existe detroit nem kalergi é tudo conspiração dos nazis«

Pois..........

CENSURADO AGAIN disse...

até um democrata perde a esperança de que seja possível chamá-los à razão...

kk medo nunca vi o afonso cedendo um mm ao n-thor mas tirando a brincadeira inoportuna de facto é mesmo triste deve ser ainda mais olhando pela otica de vcs que acreditam nessas urnas 171s não que eu seja como eles de achar que toda ditadura aberta é cool mas é dificil ver a diferença pois eles impõem ruina na mesma com ou sem urnas

CENSURADO AGAIN disse...

"alternativa ao sistema"

porra só mesmo gado burro cai numa dessa

Leitora disse...

É uma pena que as pessoas desconheçam completamente o inimigo deles. Esses imigrantes são apenas bonecos, estão sendo usados e manipulados. O inimigo não são milhões de imigrantes, o inimigo é uma meia dúzia (se comparado ao número de imigrantes) de satanistas da elite e membros de sociedade secreta.
Ou seja, a população derrotar todos os milhões de imigrantes, iria morrer muita gente a toa, um banho de sangue que só ia alegrar a satanás e ao satanistas, e não iria eliminar o vírus que está dentro do "corpo" da sociedade, não fora. O ideal era atacar a minoria de elite, a realeza, as sociedades secretas, e pronto, aí poderia resolver o problema.
Ao invés de tacar 5 milhões de pessoas, teria de tacar só ... umas milhares, provavelmente.
Existe força em números e existem números pra atacar a minoria. Pena que isso só seria possivel numa realidade paralela onde as pessoas ñ tivessem sob controle mental e soubessem da verdade

Afonso de Portugal disse...

Censurado Novamente disse...
«kk medo nunca vi o afonso cedendo um mm ao n-thor»

O meu problema com eles nunca foi esse... eu sempre aceitei a ideia de que a Democracia está muito longe de ser um sistema perfeito. Aliás, eu cheguei a discutir com eles aqui mesmo no TU um sistema de votos pesados para melhorar a Democracia, sistema esse que eles recusaram imediatamente, sobretudo o bruno.


O meu grande de discórdia em relação a eles é que eu entendo que não há alternativa, não porque a Democracia seja boa, mas porque as alternativas possíveis são ainda piores... a revolução, por exemplo, não é alternativa nenhuma, porque há muito poucas hipóteses de chegar ao poder por essa via, sobretudo estando Portugal na UE. E ainda há menos hipóteses de se manter no poder depois do golpe.

Além de que a tal "aristocracia meritocrática" de que eles falam teria de ser definida com base em critérios sólidos, que eles nunca concretizaram. O mérito tem de ser definido com pés e cabeça, não com meia-dúzia de lugares-comuns sobre o valor das pessoas.


«porra só mesmo gado burro cai numa dessa»

Pois...

Afonso de Portugal disse...

Leitora disse...
«Ao invés de tacar 5 milhões de pessoas, teria de tacar só ... umas milhares, provavelmente.
Existe força em números e existem números pra atacar a minoria. Pena que isso só seria possivel numa realidade paralela onde as pessoas ñ tivessem sob controle mental e soubessem da verdade
»

Sim, é verdade, mas a Leitora está a esquecer-se de que a esmagadora maioria das pessoas não percebe que a presença dos imigrantes é uma consequência das acções da elite. É por isso que é difícil fazer boa propaganda nacionalista, porque acusar maçons, satanistas e judeus, embora pareça absolutamente óbvio para alguns, não surte grande efeito nas massas.

As massas só entendem a acção dessas pessoas quando lhes falamos em casos concretos, como por exemplo o caso do Soros que financia organizações "humanitárias" com fins genocidas. É preciso perceber isso: não basta apontar dedos, é preciso explicar como é que essas pessoas estão agindo.

Armor King disse...

Em Lisboa, quem vai a Odivelas ou ao Sr. Roubado também encontra um cenário igualzinho as ruas de Paris, ainda no outro dia vi um casal muçulmano no metro em que a mulher esta a usar uma burka dos pés a cabeça, e até estava a usar luvas para cobrir as mãos, não fosse ela enfeitiçar algum homem por mostrar uma nesga de pele.......

Leitora disse...

Eu digo isso porque qnd se zapeia pelas redes a ver o que as pessoas estão pensando,muitos falam em guerra, em ter que lutar contra "os jovens" e tal, sem saber que os jovens são apenas bonecos e sem pensar no banho de sangue quando se poderia atacar pouca gente, e depois despachar os "jovens" em paz, pois eles são apenas usados por outrens.
Sim, os "Jovens" podem ser incivilizados, mas é preciso saber que é o jeito deles, que eles não conseguem ser melhor, em grande parte dos casos, porque nasceram assim. Não adianta esperar que eles se comportem com o mesmo estandarte de um branco, nem ficar bravo quando eles não conseguem. Porque é a lei da natureza. O que é uma aberração é o multiculturalismo e a presunção de que pessoas tão diferentes conseguiriam se comportar igual. É preciso aceitar a realidade.

Afonso de Portugal disse...

Armor King disse...
«não fosse ela enfeitiçar algum homem por mostrar uma nesga de pele....»

Estava para aqui a rir-me desta parte, quando me lembrei que os Talibã chegavam a espancar mulheres por mostrar os tornozelos... e ainda há quem defenda esta religião! :|

CENSURADO AGAIN disse...

usados e manipulados

acho que é 50%-50% é como dizer que a criminalidade alogena mesmo a nivel endogeno é tudo o judeu que manda fala serio o judeu tem poderes sobrenaturais boa parte dos rapefugees nem sirios são

CENSURADO AGAIN disse...

uns abrem as fronteiras eles se aproveitam mas são co autores na mesma

CENSURADO AGAIN disse...

é como alguem abrir uma loja deixar ela sozinha e vc se aproveitar e fazer o rapa se vc for honesto vc não vai

Afonso de Portugal disse...

Leitora, eu dou-lhe razão em tudo o você disse... mas como enfiar isso na cabeça das pessoas que ouviram toda a vida que o multiculturalismo é uma coisa boa?

O meu problema, aliás, o problema de todos os blogueiros nacionalistas, é saber como veicular uma mensagem que faça as pessoas abandonar o dogma globalista. Aquilo que eu tento fazer aqui no TU é mostrar as consequências da iminvasão, para que os meus leitores vejam que há muitas coisas que lhes são escondidas pelos mé(r)dia... e também que aquilo que nos é ensinado na escola está muito longe de ser verdade.

Outros blogueiros preferem focar-se no domínio judaico da banca, dos mé(r)dia e das instituições... mas, ao longo das décadas, o grosso da população não foi sensível a essa mensagem. Desde os anos 60, o Nacionalismo de base anti-sionista teve pouco sucesso na Europa Ocidental.

O que eu notei, observando o crescimento da audiência de pessoas como o Paul Joseph Watson, a Marine Le Pen, o Geert Wilders, etc é que as pessoas respondem bem melhor à denúncia da islamização. É por isso que eu falo muito no Islão aqui no TU, porque é aquilo que vi funcionar mais consistentemente ao longo dos anos.

João disse...

O guei que ia com o André no táxi será o Frederico Lourenço? também nisso se vê como as castas se mantêm: o Frederico Lourenço é filho do MS Lourenço; o Luís Filipe Torgal é filho do Reis Torgal, etc. Quanto a essa treta da mulher não poder sair do país sem autorização do marido, é engraçado contextualizar. E o contexto diz-nos que as mulheres, em França, não podiam abrir conta sem autorização do marido ou pai até aos anos sessenta! Eu é que já não sei onde li isso, mas tenho aqui uma obra qualquer onde essas questões são referidas - proibições que vigoravam na Europa até muito depois da segunda guerra e mostram que não é uma questão de regime mas de cultura. Às vezes leio coisas que devia apontar e não o faço, depois não sei onde é que param...

Dr. No disse...

Se quiser, para fazer download (simples, rápido, grátis e sem vírus) e ler:

http://lelivros.stream/book/baixar-livro-do-comunismo-vladimir-tismaneanu-em-pdf-epub-e-mobi-ou-ler-online/

Descrição do livro "DO COMUNISMO" de VLADIMIR TISMANEANU: o professor, jornalista e cientista político romeno Vladimir Tismaneanu, presidente da Comissão Presidencial Consultiva para a Análise da Ditadura Comunista da Romênia, escreveu este livro como um esforço teórico e também histórico-memorialístico da experiência comunista na Romênia. Este volume, diz ele, não é um tratado acerca do comunismo , mas uma reunião de textos que evidenciam o destino do comunismo como mito político, como religião secular com ambições de explicar a totalidade do mundo e da história humana. Nele, o autor explica por que, antes de encarnar-se como regime político concreto, o comunismo foi e permanece uma doutrina apocalíptico-revolucionária.

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger João disse...
O guei

panasca e paneleiro parecem nomenclaturas mais engraçadas

CENSURADO AGAIN disse...

alias panasca é mais engraçado que paneleiro onde vcs vão arrumar esses nomes

CENSURADO AGAIN disse...

tentei achar o a etimologia dessas palavras e nada

CENSURADO AGAIN disse...

https://www.youtube.com/watch?v=f0Z-g9ucFew

hey afonso parece que os jovens enriqueceram os italianos não deu pra saber se esses que tentam resistir do outro lado são nativos

Afonso de Portugal disse...

João disse...
«O guei que ia com o André no táxi será o Frederico Lourenço?»

É possível, mas so o FdT poderá clarificar essa questão...


«também nisso se vê como as castas se mantêm»

Ou não fosse o nepotismo uma verdadeira instituição nacional! :)


«em França, não podiam abrir conta sem autorização do marido ou pai até aos anos sessenta!»

Em França? Não, não pode ser! Esse país é precisamente aquele de que o nosso esquerdalho mais gosta, onde até o 44 foi estudar, pá! Como podiam os seus avós "oprimir" as suas mulheres?!?!


«proibições que vigoravam na Europa até muito depois da segunda guerra e mostram que não é uma questão de regime mas de cultura.»

Naturalmente... aliás, a ideia que os esquerdalhas têm de que os homens ocidentais se juntavam todos em assembleia e decidiam oprimir as mulheres por decreto não passa de uma fantasia ideológica ridícula, de revisionismo histórico grosseiro para seduzir jovenzinhos impressionáveis. As sociedades não se organizam de certa forma por acaso, há sempre razões lógicas para isso. E quando uma sociedade tem sucesso durante tanto tempo como tiveram as sociedades ocidentais, a pergunta que nos devíamos fazer é porque é que eles organizaram a sociedade assim, não condená-los sem mais nem menos.

Mais do que isso, a verdadeira questão é sabermos se a nossa sociedade ganhou ou perdeu com os direitos das mulheres. Há quem argumente que ganhámos, porque os países onde as mulheres têm mais direitos são aqueles que tambem usufruem de maior prosperidade económica. Só que correlação mão implica causalidade e, mais importante do que isso, se olharmos para as taxas de natalidade dos países mais ricos, não é claro que o nosso futuro seja propriamente brilhante...


«Às vezes leio coisas que devia apontar e não o faço, depois não sei onde é que param...»

É por isso -e não me leve a mal repetir novamente- que o caro João comete um autêntico crime quando fecha os seus blogues. Há muitas coisas boas que se perdem para sempre! :)


Dr. No disse...
«Se quiser, para fazer download (simples, rápido, grátis e sem vírus) e ler»

Muitíssimo obrigado, caro Dr. No! Não apenas em meu nome, mas em nome de todos os leitores que poderão usufruir deste livro! :)


«Nele, o autor explica por que, antes de encarnar-se como regime político concreto, o comunismo foi e permanece uma doutrina apocalíptico-revolucionária.»

Enfiar isto na cabecinha dos geurreiros da (in)justiça social e afins é que não se afigura tarefa fácil. O "Arquipélago Gulag" do Alexander Soljenítsin devia ser leitura obrigatória em todas as escolas do mundo, mas nós aqui em Portugal até trocámos os versos de Camões pelo deboche pretensamente humanista do comuna de nariz empinado Saramago. O comunismo acaba sempre da mesma forma, mas continua a haver demasiadas pessoas que acham que a URSS, a Roménia, a Hungria, a Ucrância, Cuba, Venezuela, Vietname, Coreia de Norte e afins "não foram comunismo de verdade"! >:(


Censurado Novamente disse...
«alias panasca é mais engraçado que paneleiro onde vcs vão arrumar esses nomes»

Não sei, eu aprendi esses nomes todos no recreio da escola... o mais provável é que como esses nomes têm génese popular, a sua origem se acabe por perder. Mas eu não sou linguista, não posso afirmar com certeza absoluta.

Há outros igualmente curiosos como "panisga", "rabeta", "larilas", "panilas", "roto" (lê-se rôtu), "panão" (embora nem todos os dicionários reconheçam o "panão" como sinónimo de guei), e claro, o "bicha/bichona" que vocês também têm aí no Brasil, para além de muitos outros que não temos aqui em Portugal.

CENSURADO AGAIN disse...

"roto" (lê-se rôtu),

nem precisava explicar li rotu pois a pronuncia e relação fonetica escrita as vezes coincidem

CENSURADO AGAIN disse...

20 de julho de 2017 às 18:06

acho panasca engraçado por que lembra panaca aqui tem viado boiola traveco mas eu acho que tem mais pra puta biscate catraia rapariga quenga kk

Afonso de Portugal disse...

"quenga"? Isso soa um tanto ao quanto afro... ehehehe

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger Afonso de Portugal disse...
"quenga"? Isso soa um tanto ao quanto afro... ehehehe

20 de julho de 2017 às 18:17

sim é regionalismo de partes do ne tipo bahia onde a influencia de palavras do benin foi maior

CENSURADO AGAIN disse...

sim é fonetica do benin mas pra gente soa algo engraçado não relacionamos com etnos por isso tinha uma kinga agoston no face e fazia propaganda daquela aerobica zumba que parece nome dali tambem

CENSURADO AGAIN disse...

aquele instrumento de percussão parece ter origem europeia pois ja vi na europa mas aqui ganhou um nome que parece alogeno zabumba mas o triangulo tinha nos cajuns e na frança na altura do golpe no regime medieval mas acho que so sobreviveu ca ja o acordeão veio de vcs mas ha varios tipos o dos gauchos em media parece menor e tem mais foco na parte do meio que nos teclados alias o deles as vezes parece que so tem mais botões

CENSURADO AGAIN disse...

não precisa aprovar se achar que to floodando a viola parece ter feito maior sucesso entre essas duas zonas de acordeão nunca entendi por que esse padrão será que foi por causa da charque do xviii?

CENSURADO AGAIN disse...

é justamente a fonetica de kenga que soa estranho ao falante indo europeu que torna a palavra engraçada

CENSURADO AGAIN disse...

e a pronuncia forte nga que realmente vem daquela zona

so não sei se nhaca vem de la ou dos nativos

CENSURADO AGAIN disse...

Originalmente, quenga é uma vasilha feita da metade de um coco sem a polpa. Virou sinônimo de prostituta

note que sempre são termos desvalorizantes catraia por ser um barco de menor valor quenga por ser um pote de menor valor indicando uma mulher de valor inferior

CENSURADO AGAIN disse...

O kimbundu, quimbundo, dongo, kindongo, loanda, mbundu, loande, luanda, lunda, mbundu, ... povoação, união"), quibebe (de kibebe), quenga (de kienga, "tacho")

CENSURADO AGAIN disse...

alias essas palavras estranhas tipo bunda tambem vem da mesma zona a sul da zona bacongo

CENSURADO AGAIN disse...

Aparentemente, inhaca vem do Tupi yakwa

inhaca realmente é nativa yakwa lembra yakima da america do norte que lembra lingua japa

CENSURADO AGAIN disse...

o engraçado é que os negros são racistas eles sempre tentam traçar origens menos congoides e mais perto de raças do sahel com caracteres tidos como menos negroides dai por que muitos traçam origem no benin mas vc analisa a palavra e aparece outra coisa uma lingua a sul da zona bacongo

CENSURADO AGAIN disse...

esses do sahel no acre discriminavam os haitianos

CENSURADO AGAIN disse...

se achavam superiores a eles

CENSURADO AGAIN disse...

as vezes eles tem residuos tardios que atenua do congoide pra mulataria dai dizem isso que vieram do sahel o bob marley ate foi mais longe veio dos semitas e berberes via influxo destes na etiopia antiga

CENSURADO AGAIN disse...

porra etiopia nunca mandou auto venda fala serio vai mentir na casa do kct alias o deus deles encarnado da etiopia era corrupto classico da zona

Anónimo disse...

KKK... achei que se tratava do Brasil
KKK... a Europa islamizando-se ou abrasileirando-se
KKK...

CENSURADO AGAIN disse...

Anónimo Anónimo disse...
KKK... achei que se tratava do Brasil
KKK... a Europa islamizando-se ou abrasileirando-se
KKK...

21 de julho de 2017 às 02:40

ja sabemos que és de salvador pelo teu depoimento